Definindo um plano de negócios: Os desafios de MailTrack

Tudo muda rápido no ambiente das startups. Semanas antes de lançar a MailTrack Tool para iOS e MailTrack for Work, Nacho González-Barros acredita que MailTrack não deve esquecer que ainda está definindo seu plano de negócios, e que o projeto irá onde seus usuários o levarem.

O mês passado foi um marco inesperado para MailTrack.io, um dos mais importantes desde seu lançamento em novembro de 2013. Depois de chegar a 400.000 instalações e fechar uma rodada que levou o projeto a alcançar um total de investimento de 1 milhão de euros, nossa empresa de Barcelona chamou a atenção do setor na Espanha depois de ser chamada pela Wired como uma das startups mais hot da Europa em 2015.

Agosto era para ser um mês lento para nós, já a maioria dos negócios na Espanha tiram férias nesse mês. Mas existe um consenso crescente de que os meses que seguirão serão chave para nosso sucesso, especialmente as decisões que serão tomadas até o fim do ano. Tiramos uma semaninha para descansar, e guardamos o resto do mês para desenhar algumas estratégias-chave para nosso negócio.

O lançamento da MailTrack Tool para iOS e do nosso plano profissional sob o MailTrack for Work são os melhores exemplos do importante momento pelo que estamos passando, e ao mesmo tempo que ainda somos uma startup, vivendo um processo de aprendizagem.

Mas o que isso significa para MailTrack? Eu me reuni com Nacho González-Barros, CEO e um dos fundadores, e perguntei qual é sua opinião sobre o futuro da nossa ferramenta de email tracking.

 

NACHO GONZÁLEZ-BARROS, FUNDADOR E CEO, MAILTRACK.IO

“Ainda estamos definindo nosso plano de negócios”

Nacho González-Barros

Nacho González tem 41 anos e é CEO de MailTrack.io. Ele é um empreendedor em série desde 1995, e fundou sites como InfoJobs e Niumba (vendido ao Tripadvisor).

 

 

Eu lembro de como foi legal começar um negócio no início de MailTrack.io. Éramos uma equipe de quatro pessoas, e agora temos às vezes até 10 pessoas no escritório. Talvez não sejamos mais uma startup…
Eu acho que você se engana. Eu gosto da definição do Steve Blank do que é uma startup: um projeto que está testando e definindo seu modelo de negócios. Isso é o que somos. De alguma forma, ainda estamos começando nosso negócio, definindo tudo: do perfil do nosso usuário até como vamos fazer com que tudo isto seja sustentável.

Mas também já avançamos bastante.
Claro. A gente já consolidou muitas coisas. Por exemplo, queremos que MailTrack continue simples, ao mesmo tempo em que é uma das poucas soluções da indústria de email marketing com uma versão ilimitada e completamente gratuita. Também parece que nossa aposta por entrar em todo tipo de mercado, muito além do americano ou europeu, foi acertada. Mas eu acho que estes pontos são exceção à regra.

Nesse processo de aprendizagem, então, como você descreveria o momento em que estamos vivendo?
O que nos define neste momento é a monetização e o esforço de levar MailTrack para o celular. Esses dois pontos se desdobram em MailTrack for Work, que é nossa versão premium com funcionalidades profissionais, e a MailTrack Tool para iOS. Nós vamos lançá-las oficialmente nas próximas semanas.

Decidimos lançar a MailTrack Tool como uma ferramenta acessória a nossa extensão de Chrome. O que está por trás dessa decisão?
Descobrimos que nosso usuário mal pode esperar pelo nosso app móvel, mas que ele também não quer deixar de usar seu app de email nativo do smartphone. Então a MailTrack Tool é um aplicativo de email para você ter no seu celular quando estiver fora do escritório. É assim, inclusive, que eu o uso agora como beta tester. Quando preciso saber se um email que enviei com MailTrack foi aberto ou não, ou quando preciso enviar um email rastreado antes de abrir meu computador, eu abro a MailTrack Tool no meu iPhone e adianto esse trabalho antes de chegar ao escritório.

E a versão de Android?
Lançaremos o MailTrack Tool para iOS primeiro. O Android como sistema operacional tem alguns desafios extras, porque é gama de dispositivos é ampla. Além disso, o feedback que recebermos com nosso app para iPhone vai ajudar a melhorá-la também.

MailTrack for Work já parece ser um caso interessante. Ainda não o lançamos oficialmente, mas os números já chamam a atenção.
Na verdade, ultrapassamos os objetivos colocados para a fase de testes do MailTrack for Work. Antes mesmo de lançá-lo, já temos mais de 1.000 clientes. Acho que é um indicador interessante de que MailTrack e nossas funcionalidades profissionais são do interesse do nosso usuário. E MailTrack for Work só está começando, então temos oportunidade para aumentar ainda mais esse interesse.

“Se o que fazemos não interessa ao usuário, tudo perde o sentido”

Mas se estamos lançando a MailTrack Tool para iPhone e MailTrack for Work, por que ainda estamos definindo nosso plano de negócios?
Porque quando você está no início de uma empresa, você nunca pode assumir que o que está fazendo é completamente certo. Você tenta basear suas decisões da melhor maneira possível, através de indicadores, pesquisas, entrevistas… Mas uma premissa é chave: você pode se enganar.

Que evidência você acha que é a melhor na hora de definir esse caminho?
A utilidade que temos para o usuário.

…só isso?
Se o que fazemos não interessa ao usuário, tudo perde o sentido. Ao mesmo tempo, lembre-se que saber o que ele acha útil ou não é fácil. Para começar, temos todo tipo de usuário: famílias, negócios, empreendedores, vendedores e profissionais que buscam trabalho. Encontrar quais são os perfis mais importantes é uma tarefa difícil. Depois, existe todo tipo de dificuldade na hora de medir: limitações metodológicas, vieses por todos lados, e a diferença entre o que uma pessoa diz, e o que pensa. E, claro, a necessidade de fazer todo esse processo e nosso negócio sustentável.

Como CEO e fundador, no entanto, aonde você gostaria de levar nossa startup?
Acho que MailTrack tem o potencial de ser um software de email tracking completamente essencial a todos que usam o email como ferramenta de produtividade. E apesar de que tenhamos muito por fazer ainda, acho que a postura que assumimos diante esse desafio é correta.